Olá pessoas, tudo bem? E aí já comeram chocolate hoje? Já ingeriram uma quantidade de flavonoides? Quem aí protegeu o coração comendo? Você não sabe do que eu estou falando? Então vou começar esse artigo te dando uma notícia muito boa, além do chocolate ser um alimento delicioso consumido por pessoas de todas as idades, ele apresenta benefícios importantes para a saúde. Um composto presente no cacau tem chamado muito a atenção dos cientistas, uma substância chamada flavonoide que aumenta a capacidade antioxidante do plasma, melhorando a circulação sanguínea resultando em artérias e coração mais saudáveis. Boa notícia não?

Ao longo do nosso dia a dia, passamos por situações estressantes, não nos alimentamos corretamente, poluição, inflamações, etc.. são nesses momentos que o nosso corpo produz grande quantidade de radicais livres o que traz muitos danos as nossas células, o antioxidante neutraliza essa ação, e o flavonoide é um antioxidante, que além de proteger as células, associado a outros mecanismos, previne doenças cardiovasculares.

Todo esse benefício é resultado do valor nutritivo e energético presente no chocolate. 100g desse alimento possui cerca de 523,8 Kcal. É um alimento muito rico devido a seu teor de proteínas, carboidratos, lipídios, sais minerais como cálcio, fósforo, potássio, magnésio e traços de ferro e cobre e vitaminas (A, B1, B2, D e E). Estudos apontam que o consumo do cacau e de chocolate aumentou a concentração do colesterol bom (HDL), outra ação comprovada é a diminuição da pressão arterial, melhorando a função endotelial dos vasos.

Aí você pode estar se perguntando: então a Nutri está dizendo que eu posso comer chocolate sem limites que vou proteger meu coração? Calma, não é bem assim, a ideia não é comermos chocolate exageradamente, principalmente pessoas obesas ou sobrepesos, mas sim uma porção pequena (em torno de 20g) frequentemente para obter seus benefícios. Outro ponto que vale lembrar é, para um chocolate ter alto teor de antioxidante, é necessário escolher grãos do cacau rico em polifenóis, utilização de grãos subfermentados e a redução do tempo e temperatura térmica. Ou seja, tanto a matéria prima como o processo que esse grão vai sofrer até o momento de chegar nas nossas mãos é o que define a quantidade de flavonoides presente no chocolate, assim como falei no outro artigo sobre a diferença da qualidade entre o chocolate artesanal e o industrializado, esse é mais um ponto de diferenciação, o cuidado a ser tomado pelo fabricante para preservar a existência natural de flavonoides.

Por tanto vamos ter hábitos saudáveis, uma alimentação balanceada, prática de exercício físico e sim comer chocolate moderada e frequentemente para garantirmos um coração forte e feliz.

Foram utilizadas as bases de dados ROCA, Scielo, Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia.

 

http://www.itabau.com.br/wp-content/uploads/2011/06/Beneficios-do-cacau.pdf

 

http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/455/1/AP_COPEQ_2011_2_01.pdf

 

http://www.scielo.br/pdf/rbcf/v43n3/a05v43n3

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *