É isso mesmo que vocês leram!

Nossa equipe aqui na Cacau está sensibilizada com esse frio todo que anda fazendo

Ninguém merece passar por isso sem os devidos meios deliciosos de aquecimento. Dentre eles, podemos salientar os cafés, chás, mates e sopas. Maaas, sabemos que o mais gostoso é o CHOCOLATE QUENTE, né gente. É o queridinho das festas juninas e pode até ser considerado um patrimônio do inverno Brasileiro.

“Ahh, mas eu não gosto dessas misturas prontas, industrializadas que vendem no mercado. Prefiro fazer o meu em casa mesmo. Mas, poxa, dá um trabalhão né…Acho q vou tomar um café mesmo…”

NAAAAAO. Para tudo!

Nós da Cacau podemos ajudar!

Desenvolvemos uma mistura simples, porém complexa em sabor e cremosidade. Uma mistura maravilhosa que, ao ser adicionada ao leite ou água quente (vai do seu gosto), se transforma em um prazer inigualável, uma sensação indescritível, um delicioso chocolate quente produzido artesanalmente e que contém em sua composição chocolate artesanal de verdade!!!

Ter isso no mix de produtos do seu Box Prime já seria um sonho. E esse sonho está prestes a se tornar uma realidade ainda mais deliciosa.

Enviaremos nos próximos meses, até o final do inverno, aos nossos assinantes do Box Prime (não vacila, ASSINA AGORA MESMO), esse produto INTEIRAMENTE GRÁTIS. Sem pegadinha, sem letrinhas pequenas, só sabor e uma experiência nova, uma nova maneira de experimentar nossos maravilhosos chocolates artesanais!

Você que já é assinante, só aguarde. No Box Prime do próximo mês, já vai ter um pacotinho de amor a mais especialmente para você!

Você que não é, não espera, clica aqui 👉 BOX PRIME COM CHOCOLATE GRÁTIS ATÉ O FIM DO INVERNO e assine agora!

Cacau Prime Club, pra que leva chocolate a sério!

Receita de Calda de Cacau Rápida

 

Ingredientes

-4 colheres de sopa de Cacau em Pó (100%)
-6 colheres de sopa de Água (ou mais)
-2 colheres de sopa de Manteiga
-1 colher de café de Essência de Baunilha (opcional)
-Adoçante a gosto.

 

 

Modo de preparo

Derreta a manteiga no banho-maria ou no micro-ondas sem aquecer demais e reserve. Em outro recipiente coloque o cacau em pó e a água, misture devagar e delicadamente até o cacau diluir por completo – demora um pouquinho!

Coloque a essência e o adoçante e misture mais um pouco. Adicione a manteiga derretida e incorpore tudo muito bem. Coloque no micro-ondas por 20 segundos. Retire, mexa bem e labuze-se!

 

Referencia: www.geracaofit.com

 

 

  1. Existem mais de 16 espécies de cacau e as duas mais comuns no Brasil são: a Theobromacacao L e a Theobroma Leiocarpun Bern, chamado popularmente de cacau forasteiro ou cacau roxo, que se subdivide em quatro variedades: Comum, Pará, Maranhão e Catongo.

 

  1. O cacau era considerado pela civilização maia uma fruta dada diretamente pelos deuses aos homens. E, de tão importante, virou até moeda de troca. Nessa época na américa latina não se fazia do cacau o que conhecemos hoje como chocolate. Era feita uma bebida de sabor amargo com as sementes torradas e moídas, misturadas com água e pimenta.

 

  1. Ao contrário das outras frutas, o cacau nasce diretamente do tronco da árvore. O Cacaueiro pode chegar a ter 12 metros de altura e cada fruto tem entre 12 e 40 centímetros de altura.

 

  1. Essa pequena fruta é responsável por conter um volume relativamente alto de antioxidantes em sua concentração, em alguns casos, podendo apresentar até 12 vezes mais compostos do que o vinho. Os antioxidantes são compostos responsáveis por controlar o efeito dos radicais livres em nosso organismo, evitando o desenvolvimento de doenças cardiovasculares, degenerativas e até alguns tipos de câncer.

 

  1. Diz-se que a primeira chocólatra do mundo foi a princesa espanhola Ana de Áustria. No início do século XVII, o chocolate ainda era somente uma bebida à base de cacau, mas a princesa não passava um dia sem a sua dose e é considerada a responsável pela chegada do chocolate à França.

 

  1. O cacau chegou ao Brasil pelo Estado do Pará, em 1746, trazido pelo francês Louis Frederic Warneaux. No mesmo ano, Antônio Dias Ribeiro recebeu algumas sementes do colonizador francês e começou a cultivar a amêndoa em Ilheus e Itabuna, sul do Bahia, o que ajudou no desenvolvimento econômico da região.

 

  1. De tão valioso, o cacau era usado como moeda e podia ser usado até para comprar um escravo, que chegava a custar 100 sementes de cacau.

 

  1. O Estado da Bahia produz cerca de 95% do cacau do Brasil, país cuja produção corresponde a mais ou menos 5% da mundial, sendo a Costa do Marfim o maior produtor do planeta, com aproximadamente 40% do total.

 

  1. O cultivo bem-sucedido do cacau na Bahia serviu de inspiração para o escritor Jorge Amado. Em 1933 ele lançou seu segundo romance, chamado “Cacau”, obra que conta a história dos trabalhadores de fazendas de cacau em um período de luta de classes e ampliação das ideias socialistas.

 

  1. A praga conhecida como vassoura-de-bruxa devastou as plantações de cacau na Bahia em 1989 e com a perda da produção o Brasil deixou de ser um grande exportador de cacau e passou para a condição de importador de cacau. A vassoura-de-bruxa, provavelmente originária da região amazônica, faz com que os ramos do cacaueiro fiquem secos como como uma vassoura velha e não produza mais.

 

Sabe mais alguma curiosidade sobre esse ingrediente nativamente brasileiro? Poste nos comentários!

 

 

 

Olá pessoas queridas, tudo bem com vocês? Gente esse é o último artigo da série Melhor de Cinco, e eu preparei algo especial, vou escrever pra vocês os pontos principais de todos os artigos, uma forma de relembrarmos como é bom ingerirmos o chocolate. Então vamos lá?

Nós brasileiros somos grandes apreciadores de chocolate, hoje o Brasil é o quarto país que mais consome e terceiro maior produtor no mundo. Alguns anos atrás o forte de venda e consumo do chocolate era no período da páscoa, porém essa realidade está mudando, sendo hoje um mercado lucrativo o ano inteiro, visto que os brasileiros se identificam com essa iguaria. A indústria do chocolate está inovando, disponibilizando ao consumidor diferentes tipos de sabores, chocolate para celíacos, diabéticos, entre outros, ampliando assim várias classes de consumidores. Junto com essa diversidade de produtos, houve um maior consumo de chocolates artesanais, o que nos mostra que o consumidor está mais exigente por qualidade e sabor, aumentando o comércio de pequenas empresas que produzem um chocolate artesanal diferenciado das grandes marcas.

Mas quando vamos consumir o chocolate, qual será a melhor escolha? Será que existe diferença na composição dos chocolates? Sim ela existe. A diferença entre chocolate artesanal para o chocolate industrializado já começa na matéria prima, o primeiro produto que é formado após a colheita e processamento do cacau é o licor de cacau. Uma vez formado esse licor, a indústria começa a acrescentar o açúcar, manteiga de cacau, gordura, entre outros ingredientes. As pequenas empresas e lojas de chocolate artesanal também o fazem, porém são com produtos de maior qualidade que é a grande diferença de sabor apresentada no produto final. Outra diferencial é o armazenamento, embalagem e distribuição. Uma característica do chocolate artesanal, é o alto teor de cacau, principalmente em chocolates diet, sem lactose ou sem glúten. Na indústria o chocolate ganha forma (bombons, tabletes, etc) através do uso de máquinas, o que não acontece no chocolate artesanal, onde normalmente é manipulado pelas próprias mãos ganhando formas diversas, não tendo então um padrão exato de tamanho. Esse manejo diferenciado, embalagens próprias e uma distribuição em menor escala, reflete diretamente no custo, tornando o chocolate artesanal um pouco mais caro do que chocolate industrializado.

Além dessas diferenças, o chocolate artesanal apresenta um composto muito importante para a saúde, os flavonoides. E o que eles fazem no nosso corpo? Aumentam a capacidade antioxidante do plasma, melhorando a circulação sanguínea resultando em artérias e coração mais saudáveis. Boa notícia, não?

Ao longo do nosso dia a dia, passamos por situações estressantes, não nos alimentamos corretamente, poluição, inflamações, etc.. são nesses momentos que o nosso corpo produz grande quantidade de radicais livres o que traz muitos danos as nossas células, o antioxidante neutraliza essa ação, e o flavonoide é um antioxidante, que além de proteger as células, associado a outros mecanismos, previne doenças cardiovasculares.

Todo esse benefício é resultado do valor nutritivo e energético presente no chocolate. 100g desse alimento possui cerca de 523,8 Kcal. É um alimento muito rico devido a seu teor de proteínas, carboidratos, lipídios, sais minerais como cálcio, fósforo, potássio, magnésio e traços de ferro e cobre e vitaminas (A, B1, B2, D e E). Estudos apontam que o consumo do cacau e de chocolate aumentou a concentração do colesterol bom (HDL), outra ação comprovada é a diminuição da pressão arterial, melhorando a função endotelial dos vasos.

Além dos flavonoides, o chocolate tem algumas ações interessantes no nosso corpo. Quando ingerimos o cacau, entre inúmeros componentes, ele apresenta um chamado triptofano, que uma vez no nosso corpo, é responsável por ativar outros dois hormônios, dopamina e serotonina, mais conhecidos como os hormônios da felicidade. Isso por que eles agem diretamente no humor, na melhora da depressão e ansiedade. Além desses, existe mais um hormônio relacionado, a endorfina, que também é liberada ao ingerirmos chocolate nos proporcionando sensação de prazer e melhora da disposição mental.

Interessante não? Porém me pergunto, se o chocolate é tão bom e apresenta esses benefícios a nossa saúde, será que ele tem algo a contribuir na pratica esportiva também? Afinal atletas e desportistas também gostam de um chocolate não? Essa pergunta, foi a mesma que os cientistas fizeram e olha o que eles descobriram.

Além dos flavonoides, estão presentes no chocolate também a cafeína. Ela está presente nos grãos de café, nas folhas de chá, no chocolate, sementes de cacau, no guaraná e acrescentadas a bebidas para atletas. Uma vez que ingerimos a cafeína, ela estimula o sistema nervoso central, tem ação sobre o sistema musculo esquelético e cardíaco e é responsável pela atuação e liberação de muitos hormônios. Além de reduzir a fadiga durante o exercício, o indivíduo tem a sensação temporária de maior força muscular e maior competitividade, podendo então realizar a atividade física por um tempo mais prolongado antes de fadigar.

Então ao ingerirmos o chocolate nós estamos protegendo nosso coração, proporcionando bem estar ao corpo e ainda melhorando nosso desempenho na prática esportiva? Sim, mas lembre-se quanto mais puro for o chocolate e com maior teor de cacau maior quantidade desses compostos e por tanto maior os benefícios. Claro que a prática de exercícios e uma alimentação saudável e balanceada são indispensáveis. =) Até a próxima!

Oi gente, tudo certo com vocês? Vamos a mais um artigo sobre o nosso delicioso chocolate? Tenho escrito pra vocês sobre a qualidade e composição do chocolate, como esse alimento é rico e importante para o consumo.Continuando os assuntos, o artigo de hoje falará um pouco sobre outro composto do chocolate e a sua importância na prática esportiva. Conhecemos um pouco mais sobre a cafeína!

Cada vez mais as pessoas estão aderindo a prática de atividade física como parte da sua rotina, isso acontece por inúmeros motivos, promoção da saúde, diminuir os riscos de doenças metabólicas, estética, paixão pelo esporte, entre outros. Devido ao aumento da pratica esportiva e busca por um corpo saudável, pesquisadores e cientistas começaram a expandir seus trabalhos na descoberta de recursos ergogênicos na intenção de potencializar a performance na prática esportiva.

Mas afinal o que são esses recursos ergogênicos? Eles podem ser classificados como mecânicos ou biomecânicos, psicológicos e nutricionais. Uma vez utilizados, eles contribuem no aumento da potência física, força mental e a eficácia mecânica. O chocolate é um alimento que está na classe desses recursos ergogênicos por conta da sua composição.

Quando falamos sobre Nutrição Esportiva, nós Nutricionistas precisamos associar uma alimentação que seja completa e suficiente para os nossos atletas e desportistas junto com um melhor desempenho na modalidade praticada. Precisamos utilizar os carboidratos, lipídios e proteínas a favor do corpo e temos ainda alguns alimentos que por conta de seus compostos, potencializam os resultados no esporte. Dentre eles a cafeína.

Ela está presente nos grãos de café, nas folhas de chá, no chocolate, sementes de cacau, no guaraná e acrescentadas em bebidas para atletas. Uma vez que ingerimos a cafeína, ela estimula o sistema nervoso central, tem ação sobre o sistema musculo esquelético e cardíaco e é responsável pela atuação e liberação de hormônios. Além de reduzir a fadiga durante o exercício, o indivíduo tem a sensação temporária de maior força muscular e maior competitividade, podendo então realizar a atividade física por um tempo mais prolongado antes de fadigar.

No chocolate ao leite (28g) temos a quantidade de 6mg de cafeína, chocolate de confeiteiro (28g) 35mg de cafeína e no chocolate a partir da mistura (28g) também encontramos 6mg de cafeína. Os estudos nos dizem que aquelas pessoas que não tem o habito de ingerir cafeína, 50mg/diaé suficiente para sentir os efeitos na atividade física. Outro alimento que também está em alta no meio esportivo é o leite com chocolate, além dele repor os estoques de glicogênio consumidos durante a prática de exercício, há uma reposição da massa muscular por conta do teor de proteína que esse alimento apresenta.

Por tanto, é de suma importância para a nossa saúde, mente e corpo mantermos hábitos alimentares saudáveis e a prática de atividade física, juntando isso ao consumo de chocolate, ainda teremos uma melhor resposta físico mecânica na prática do exercício. Mais um motivo para consumirmos nosso querido chocolate de cada dia =)

 

Foram utilizadas as bases de dados EFDPORTES, SCIELO, SBME, Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia.

 

http://www.efdeportes.com/efd105/consumo-da-cafeina-como-ergogenico-nutricional-no-esporte.htm

 

Oi gente! Tudo certo com vocês? Vamos a mais um artigo sobre o nosso delicioso e querido chocolate?

Bom, que esse alimento tem um poder antioxidante no nosso corpo, sendo um protetor do sistema cardiovascular nós já sabemos, certo? Agora a pergunta é: será que além de proteger nossas artérias, diminuir o LDL e pressão arterial, ele tem mais algum benefício? O que acontece no nosso corpo quando ingerimos o chocolate? Como o nosso cérebro reage a esse alimento?

Sejamos bem sinceros, mesmo se essa maravilha não nos trouxesse benefício nenhum, só o sabor que ele oferece é motivo suficiente para sermos amantes de chocolate.Hoje nos é oferecido inúmeras formas, sabores, cores diferentes para nos deixar com mais vontade. Barra, bombom, ovo de chocolate, bolos, a lista não para mais. E a boa notícia é que sim, além dos benefícios citados acima, ele oferece mais alguns! Vamos descobrir quais?

Quando ingerimos o cacau, entre inúmeros componentes, ele apresenta um chamado triptofano, que uma vez no nosso corpo, é responsável por ativar outros dois hormônios, dopamina e serotonina, mais conhecidos como os hormônios da felicidade. Isso por que eles agem diretamente no humor, na melhora da depressão e ansiedade. Além desses, existe mais um hormônio relacionado, a endorfina, que também é liberada ao ingerirmos chocolate nos proporcionando sensação de prazer e melhora da disposição mental.

Esse é um dos motivos que explica por que ficamos tão felizes e satisfeitos quando comemos chocolate, principalmente na TPM, se tratando de mulheres.

E por acaso alguém aí quando era criança já recebeu um chocolate depois de ter feito algo bom? Quem já ouviu a mãe dizer: menino se você se comportar no mercado eu te compro um chocolate. Sim, esse alimento está ligado à recompensa. E nosso cérebro é tão esperto que desde crianças ele nos condiciona a esse doce como uma coisa boa, uma recompensa, aumentando ainda mais nossa satisfação pelo alimento.

Louco, não? Pois é minha gente, se estávamos em dúvida se é bom ou não consumir chocolate, acho que já temos nossa resposta. Esse alimento, nas quantidades ideais e dentro das nossas necessidades nutricionais nos oferece grandes benefícios. Até a próxima =)

 

 

Foram utilizadas as bases de dados DW, Revista Científica HUPE, Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia, Unicruz..

 

 

http://www.dw.com/pt-br/os-efeitos-do-chocolate-sobre-o-corpo-e-a-mente

 

https://www.unicruz.edu.br/seminario/artigos/saude/EFEITO%20DO%20CHOCOLATE%20AMARGO%20NOS%20N%C3%8DVEIS%20LIP%C3%8DDICOS%20DE%20RATOS.pdf

http://www.e-publicacoes_teste.uerj.br/index.php/revistahupe/article/view/8864/6747

Olá pessoas, tudo bem? E aí já comeram chocolate hoje? Já ingeriram uma quantidade de flavonoides? Quem aí protegeu o coração comendo? Você não sabe do que eu estou falando? Então vou começar esse artigo te dando uma notícia muito boa, além do chocolate ser um alimento delicioso consumido por pessoas de todas as idades, ele apresenta benefícios importantes para a saúde. Um composto presente no cacau tem chamado muito a atenção dos cientistas, uma substância chamada flavonoide que aumenta a capacidade antioxidante do plasma, melhorando a circulação sanguínea resultando em artérias e coração mais saudáveis. Boa notícia não?

Ao longo do nosso dia a dia, passamos por situações estressantes, não nos alimentamos corretamente, poluição, inflamações, etc.. são nesses momentos que o nosso corpo produz grande quantidade de radicais livres o que traz muitos danos as nossas células, o antioxidante neutraliza essa ação, e o flavonoide é um antioxidante, que além de proteger as células, associado a outros mecanismos, previne doenças cardiovasculares.

Todo esse benefício é resultado do valor nutritivo e energético presente no chocolate. 100g desse alimento possui cerca de 523,8 Kcal. É um alimento muito rico devido a seu teor de proteínas, carboidratos, lipídios, sais minerais como cálcio, fósforo, potássio, magnésio e traços de ferro e cobre e vitaminas (A, B1, B2, D e E). Estudos apontam que o consumo do cacau e de chocolate aumentou a concentração do colesterol bom (HDL), outra ação comprovada é a diminuição da pressão arterial, melhorando a função endotelial dos vasos.

Aí você pode estar se perguntando: então a Nutri está dizendo que eu posso comer chocolate sem limites que vou proteger meu coração? Calma, não é bem assim, a ideia não é comermos chocolate exageradamente, principalmente pessoas obesas ou sobrepesos, mas sim uma porção pequena (em torno de 20g) frequentemente para obter seus benefícios. Outro ponto que vale lembrar é, para um chocolate ter alto teor de antioxidante, é necessário escolher grãos do cacau rico em polifenóis, utilização de grãos subfermentados e a redução do tempo e temperatura térmica. Ou seja, tanto a matéria prima como o processo que esse grão vai sofrer até o momento de chegar nas nossas mãos é o que define a quantidade de flavonoides presente no chocolate, assim como falei no outro artigo sobre a diferença da qualidade entre o chocolate artesanal e o industrializado, esse é mais um ponto de diferenciação, o cuidado a ser tomado pelo fabricante para preservar a existência natural de flavonoides.

Por tanto vamos ter hábitos saudáveis, uma alimentação balanceada, prática de exercício físico e sim comer chocolate moderada e frequentemente para garantirmos um coração forte e feliz.

Foram utilizadas as bases de dados ROCA, Scielo, Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia.

 

http://www.itabau.com.br/wp-content/uploads/2011/06/Beneficios-do-cacau.pdf

 

http://repositorio.roca.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/455/1/AP_COPEQ_2011_2_01.pdf

 

http://www.scielo.br/pdf/rbcf/v43n3/a05v43n3

Oi gente, tudo bem? Alguém aí interessado por chocolate? Vamos saber um pouco mais sobre esse alimento tão gostoso e que está tão presente no nosso dia-dia. Nós brasileiros somos grandes apreciadores de chocolate, hoje o Brasil é o quarto país que mais consome e terceiro maior produtor no mundo. Alguns anos atrás o forte de venda e consumo do chocolate era no período da páscoa, porém essa realidade está mudando, sendo hoje um mercado lucrativo o ano inteiro, visto que os brasileiros se identificam com essa iguaria. A indústria do chocolate está inovando muito os produtos, sendo disponível ao consumidor diferentes tipos de sabores, chocolate para celíacos, diabéticos, entre outros, ampliando assim várias classes de consumidores. Junto com essa diversidade de produtos, houve um maior consumo de chocolates artesanais, o que nos mostra que o consumidor está mais exigente por qualidade e sabor, aumentando o comércio de pequenas empresas que produzem um chocolate artesanal diferenciado das grandes marcas.

O chocolate é um produto que resulta da mistura de derivados de cacau (massa de cacau, cacau em pó, manteiga de cacau), com outros ingredientes, contendo no mínimo 25% de sólidos totais de cacau.  Após feita a massa de cacau, pode ser acrescido recheios, cobertura, formato e consistência variados. O chocolate branco é obtido da mistura de manteiga de cacau com outros ingredientes, contendo no mínimo 20% de sólidos totais de manteiga de cacau, podendo também apresentar recheio, cobertura, formato e consistência variados.

Segundo a Associação Franquia Sustentável (AFRAS, 2009), o Brasil possui a maior rede de chocolates finos do mundo. A diferença entre chocolate artesanal para o chocolate industrializado já começa na matéria prima, o primeiro produto que é formado após a colheita e processamento do cacau é o licor de cacau. Uma vez formado esse licor, a indústria começa a acrescentar o açúcar, manteiga de cacau, gordura, entre outros ingredientes. As pequenas empresas e lojas de chocolate artesanal também o fazem, porém são com produtos de maior qualidade que é a grande diferença de sabor apresentada no produto final. Outra diferencial é o armazenamento, embalagem e distribuição. Uma característica do chocolate artesanal, é o alto teor de cacau, principalmente em chocolates diet, sem lactose ou sem glúten. Na indústria o chocolate ganha forma (bombons, tabletes, etc) através do uso de máquinas, o que não acontece no chocolate artesanal, onde normalmente é manipulado pelas próprias mãos ganhando formas diversas não tendo então um padrão exato de tamanho.  Por conta desse manejo diferenciado, embalagens próprias e uma distribuição em menor escala, reflete diretamente no custo, sendo o chocolate artesanal no valor um pouco acima do chocolate industrializado.

Para os consumidores mais exigentes, o chocolate artesanal é uma ótima pedida, além de ser um produto que contém flavonoides sendo um antioxidante protetor do coração, portanto vamos comer chocolate =).

 

Foram utilizadas as bases de dados ROCA, Scielo, Tratado de Alimentação, Nutrição e Dietoterapia.

 

Qualificações profissionais: Nutricionista, pós-graduada em Nutrição Esportiva.

FB: Nutricionista Eloísa Santana

IG: @nutrieloisasantana

10 dicas para reconhecer um bom chocolate

Por Fernando de Oliveira, Chocolatier da Cacau Prime Club

 

1 -Leia o rótulo
Um bom chocolate deve conter no rotulo os seguintes ingredientes: massa de cacau, manteiga de cacau, açúcar, leite em pó e lecitina de soja que é um emulsificante natural. A massa de cacau e a manteiga de cacau são as principais matérias primas de um excelente chocolate, então devem aparecer logo no início da lista.
Caso apareçam outros tipos de gordura no rótulo, como por exemplo gordura vegetal hidrogenada ou fracionada, não são bem vistos já que podem alterar o sabor do chocolate e muitas vezes não é considerado chocolate e sim cobertura sabor chocolate.
Se forem bombons ou tabletes recheados, com certeza aparecerá outros ingredientes na lista, devido ao recheio.
Algumas marcas indicam na embalagem a porcentagem de cacau utilizada, principalmente nos chocolates amargos.
Segundo definição da Anvisa, a quantidade mínima de sólidos de cacau em um chocolate é de 25 % (g/100 g) e para o chocolate branco, o mínimo é de 20% de manteiga de cacau. No caso do chocolate branco não aparecera o ingrediente massa de cacau, somente a manteiga de cacau.

 

2 – Data de validade
Quanto mais recente a fabricação, melhor a qualidade. Sempre verifique a validade.

 

3 – Preço
Desconfie de chocolates, trufas ou bombons com preço bem abaixo do mercado. Chocolates de qualidade sãocaros e muitas pessoas vendem cobertura fracionada como chocolate.

 

4 – Temperatura
A temperatura de conservação ideal do chocolate deve estar em torno dos 18ºC. Nestas condições o chocolate conserva-se pelo menos um ano e meio sem perder as qualidades.
Temperaturas mais altas provocam o amolecimento do chocolate e a perda de
Brilho. Evite guardar o chocolate na geladeira para não mudar suas características, cor e sabor.

 

5- Olfato
Quando abrir uma caixa de bombons ou mesmo um tablete certifique-se de que tenha um bom aroma de chocolate. Não deve haver qualquer cheiro estranho, como de substâncias químicas, de coco e certamente não deve cheirar a pó, pois é indício de que é velho demais ou foi mal armazenado.

 

6 – Visão
O brilho dependerá do tipo de acabamento que receberam moldados ou banhados, os tabletes e bombons moldados devem ter brilho já os banhados como s trufas não costumam ter brilho. Caso tenha manchas brancas pode ter tido problema na conservação ou transporte, mas isto não caracteriza que o chocolate esteja estragado e sim que a gordura ou açúcar migrou para o lado externo do chocolate.

 

7 – Audição
Quando quebrar um tablete de chocolate este deve quebrar e não esmigalhar.Deve ter o som de um estalo claro.

 

8 – Tato
Quando pegar um chocolate ele não pode derreter imediatamente com o calor da mão e sim demorar alguns minutos, dependendo da espessura. O mesmo não pode ser pegajoso ou macio.
Em se tratando de bombons pode verificar se a capa de chocolate é fina ou grossa, e se foi coberta duas ou três vezes. Quanto mais fino melhor.

 

9 – Paladar
Quando fizer degustações de chocolate, é melhor que se coloque uma pequena porção e que esta derreta suavemente na língua e o sabor se espalhar por toda a boca, não deixando gosto de gordura.
Quando for bombom recheado prova-se o conjunto, ou seja, o recheio e a capa de chocolate que o reveste.
Quando provar vários tipos de chocolate, intercale com goles de água para refrescar o palato, ou sirva maçãs e pães.

 

10 – Preferencia
Estas são algumas dicas para conhecer um bom chocolate. Experimente novos chocolates, sabores, texturas e chocolates com tipos de porcentagem de cacau e descubra qual seu preferido.

Chocolate e turismo, essa associação realmente faz sentido?

 

O Brasil é um país de amantes de chocolate, uma pesquisa do IBOPE apontou que mais de 75% da população consome o doce, então não é difícil imaginar a associação do alimento com certas localidades, como é o caso de Gramado, em que a cultura do chocolate é muito presente e que parte de sua economia é facilmente associada a outros segmentos como o turismo.
A cidade de Gramado justifica sua importância ao trazer técnicas e sofisticação à produção de chocolates no Brasil, através da iniciativa de empresários locais que trouxeram e aperfeiçoaram formas de produção vindas de alguns países europeus e da Argentina a partir dos anos de 1970.

A forma no qual o chocolate era vendido enaltecia a infraestrutura da cidade nas caixas dos produtos além de encorajar seus consumidores a desbravarem o local. Os empresários divulgavam o produto de forma diferenciada, incentivando a experiência, levando as pessoas em cafés da cidade e outros estabelecimentos, despertando a curiosidade. A boa experiência resultou em indicações e recomendações, aumentando consideravelmente a quantia de interessados em chocolates vindos dali, depois disso, outros empresários começaram a trabalhar com o chocolate e assim o alimento contribuiu com a fama da cidade. Em paralelo a isso, a cidade de Gramado desde então se tornou o lar de diversas marcas que hoje já se fazem mais presentes no imaginário de apreciadores de chocolate.

Esse pequeno relato de como o chocolate participou no processo de “identidade” do destino ajuda a compreender o porquê de o alimento ser um dos motivos para pessoas originárias de diversas cidades do Brasil e do mundo buscarem a cidade de Gramado.

Com um fluxo de visitantes, levando os chocolates como lembranças do local, foi uma questão de tempo até serem criados novos atrativos que tornaram mais evidente a cultura do chocolate na cidade, como é o caso de um parque temático chamado “Mundo de Chocolate” (inclusive o único da América Latina a utilizar chocolate em diversas obras). Se pensarmos que 90% da economia de Gramado vem da atividade turística, podemos imaginar que todo esse fluxo de visitantes acaba de uma forma direta ou não, consumindo a chocolate feito na cidade.

Basicamente o chocolate vindo de Gramado deixou de ser um mero “tira-gosto” e se tornou parte do “DNA” do local. Empresários locais, habitantes e órgãos públicos possibilitaram que a cidade se tornasse uma referência ao pensarmos na atividade turística atrelada ao consumo de alimentos, e hoje o chocolate vindo de lá garante aos seus consumidores um produto tradicionalista e obviamente de qualidade.